New Translator....

Seguidores

quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Carta de amor

Carta de amor

Essa é uma carta de amor

Parece muito estranho, quase dor

Te quero amiga, amante

Que seja feliz e atraente

Deixe fazer carinho na cozinha

Que goste de amar de tarde na pia

Que leia e tenha ciúmes

Mas sem agredir e não ir ao cume

Dos sentimentos adversos

Pois são momentos nossos em versos

Serei companheiro e cúmplice

Vibre e deseje princesa

Caminhe em silencio às vezes

Surpreenda-me com carinhos

Corteses

Receba rosa sem data e roubada

Sorria e chore no meu ombro

Bata-me

Mas venha completa

Sem fantasma do passado

Já fui assado e deixado

Ulisses Reis®

27/12/2008



4 comentários:

Elizabeth disse...

O poema é lindo, continuas o amor amante sempre, sua alma é viajante, e qdo vem a noite, viaja entre palavras, para mais tarde se dar.
Seu corpo não mais te pertence, o que tem de ti no ar espalhou-se, e esse cheiro que a noite tras, chega manso, para enfim lembrar de ti.
Com carinho ao meu poeta de alma, Elizabeth

Anônimo disse...

Atrevida, ciumenta, amante, amada, em palavras e versos, sim é lindo demais!

flor disse...

nunca recebi nenhuma carta de amor....mas já escrevi algumas sem obter resposta...adorei esta carta de amor querido amigo... da flor;)

Ana Casada disse...

adorei a carta de amor,,fiquei imaginando a resposta dessa carta,,,
" querido, claro que irei ao seu encontro a tarde,,e na pia da cozinha ou na mesa, faremos amor como nunca antes fizemos,,,"...
que tal a resposta da carta???

ana