New Translator....

Seguidores

quinta-feira, 31 de março de 2011

Felina e fatal

Felina e fatal

Neste um metro e meio
Tem uma mulher completa
Agora descubro o signo
Que tem haver com o ser
Na beleza sabe encantar
Tem um ardor radical
Gosta de sexo a margem
Nada de padronização
Mas é felina e fatal
Mentira ser magrela
É gostosa de ver e tocar
Tem tudo em cima, diferencial
É a maneira que pensa espiritual
Que te faz quase virginal
Paulista o que te promove
É a arte que tu descobre

Ulisses Reis®
23/03/2011

Cabelo caído

Cabelo caído

Esse teu sorriso brejeiro
Esse jeito de dizer bem vindo
Deixa qualquer um bem querido
E você como promotora da língua
Traz para nos versos e prosa
Que encantam tanto quando te olhar
E ver a menina-moça feliz
Com esse cabelo caído, só charme
De quem sabe embelezar ao chegar
Com um feitiço de mulher brasileira
Que tem um que de divindade
E um sabe lá de profano e vaidade
Mas que trata todos com igualdade
Realmente tem seres que são beldades

Ulisses reis®
23/03/2011

Deslumbre



Deslumbre


Ela sempre teve uma luz
Que carrega no lindo olhar
Ela é uma mulher sexy
Sabe ser menina e encanta
Desliza no ar ao andar
Tem um corpo febril
Que irradia um sutil
Jeito de ser maravilhosa
Indo ou vindo deslumbra
Qualquer homem se volta
Olha e não acredita
Neste sensual ser passando
Nunca te esqueci, teu brilho
Na lembrança sempre vi
Agora venho destacar teu olhar
De uma beleza sem par
Vem e deixa-me viajar

Ulisses Reis®
22/03/2011

Para Musa Munhoz

segunda-feira, 28 de março de 2011

Condessa


Condessa

Minha Condessa deliciosa
Minha querida e atrevida
Onde anda aonde esta, venha
Solicito tua presença, bem estar
Pois pertinho aquece a libido
E sei que vem com luxuria
Minha Condessa cheia de vida
Traga teu poder de excitar
E os desejos para realizar
Pois tudo se pode para Condessa
Ela é tesouro e alteza
Tem tudo em cima e beleza
Gosta e é sensual, um frescor
Que sempre vem com ardor
De pura paixão e calor
Minha Condessa saudades
Estou aqui para dizer
Que encanta e cativo sou
Dessa mulher sem  pudor

Ulisses Reis®
22/03/2011

Para Condessa Sukkubus


Catedral

Catedral

Sempre gostei das tuas poses
Dos teus seios e tudo que tem
Mas as tuas coxas meu Deus
São de um poder, hipnotiza
Pois sabe que te valoriza
Elas são mágicas e dominam
Tuas coxas, esse par, beldade
Olha e não me canso verdade
Adora teu jeito de menina sapeka
De ser e deixa a moleka
Que habita esse tremendo corpo
Sai e se mostrar, sempre sorrindo
Que tem nas coxas o seu realce
Você Musa é tudo de bom
E o desenho do teu corpo, magistral
Vem ser catedral

Ulisses Reis®
22/03/2011

Para Musa Munhoz


quarta-feira, 23 de março de 2011

Viagem e palavras

Viagem e palavras

Muitas vezes esse teu olhar
Que vem de cima do cabeçalho
Vem como um raio, lightning
É tão forte que me assusta
Traduz tudo que de ti leio
Voracidade e distancia, alheio
Fico pensando num sorriso, meio
Daqueles que não foram para mim
Onde de passagem resvalei-o
Mas me encanta até teu silencio
A importância é que posso e leio
Os teus escritos não só de soslaio
Mas uma vez se solto, foi quando
De vestido vermelho, me veio
E a inspiração, foi aturdida, receio
Que de ti não tenho uma palavra
Mesmo que seja no meio da viagem
Que tu tenhas belas paragens

Ulisses Reis®
15/03/2011

Qual(idade)

Qual(idade)

Ela tem um caminho
Seguia sempre à frente
Não corria, pois sorria
A quem a via na calçada
Era a terra que queria
Onde plantar o sonho
E ver nascer uma florada
De um Ipê amarelo
Como seria feliz
Ter uma flor no quintal
E dizer fui eu que plantei
Não desista de um sonho
Tenha a plenitude de saber
Que você vai conquistar
E deixe tudo isso germinar

Ulisses Reis®
15/03/2011

Nascimento

Nascimento

Gosto das tuas escolhas
São líricas essas meninas
Imagens que lembra a ti
Menina moça faceira
Gosto das tuas escolhas
Os temas são um lembrete
Para que todos pensem
Em tudo que é alegria
Nada de depressão
Nem melancolia, fúria
Eu mesmo diria, loucura
Mas tudo tem juventude
O clamor uma cor, limpo
Adoro ver manifestação
De tudo que eu vivi
Coisas gostosas e saborosas
Delicias de amizades e viagens
Todos os sabores, todas as balas
É como nascer sabendo algo
Que a felicidade não se busca
Ela esta dentro de nos, beberemos
Cada gota de vida em comunhão
Com os amigos e paixões
Gostos das tuas escolhas . . .

Ulisses Reis®
15/03/2011


Para Fernanda Barcellos

Lingerie

Lingerie

Também me rendo as tuas rendas
Gosto de saber que tu ama explorar
Tuas curvas e mostrar combinação
Entre o corpo e a lingerie bela e fatal
Você confluência de ser e estar
Presente que me da sempre inspiração
Vim aqui simplesmente degustar
Palavras e imagens, colaborar
Como as tuas fantásticas tiragens
Que se mostram às vezes safadas
Outras, mulher inteira e sensata
Mas nunca de lado a sensualidade
Que tem dentro e fora de ti, orgulho
De poder dizer venha e se renda
Estou usando aquela tua renda
Que gosta de ver e sentir roçar
Na boca água, na mente libido
Venho a tu me estendo, entrego
Os teus e meus desejos rogo

Ulisses Reis®
15/03/2011

Helô Contida

Helô Contida

Rendição à exuberância
As curvas e a existência
A boca sem reticências
Os vocábulos na audiência
E você muito consciente
Que faz de tudo que pode
Para manter essa louca presa
No sentido da tua libido
Na luxuria em ti contida
E essa coxa tremula
Que você não deixa solta
Que venha uma mão profana
De um marginal sem estância
Vasculhe cada poro, arranhe
E depois beije teu colo, menina
Vem embora deixa se revolte
Beije-me de volta

Ulisses Reis®
15/03/2011

domingo, 20 de março de 2011

Feliz Niver

Feliz Niver

Essa imagem com a flor
Deixou-lhe maravilhosa
Lembra uma bonequinha
Muito, muito dengosa
Você se supera a cada dia
Pois é fênix mulher inteira
No universo te encontrei
Nele te saboreio ao saber
Que teus momentos melhores
Estão sempre no futuro
Onde teu prazer é simples
Viver feliz e se construir
Sempre melhorando o ser
Que tua essência, contem
Mas como cuida bem de si
Do teu interior e muito bem
Aflora uma mulher linda
De dentro para fora, beleza
Assim fica maravilhosa
Uma tremenda gostosa
Que atrai muitos olhares
Alguns não dê confiança
Outros até beijo na boca
Mas que seja inteligente
Pelo menos interlocutor
Pois para esta do teu lado
Musa belíssima enraizada
Tem no mínimo que saber
Que a fala não é besteira
Tem que ser atualizado
Para proporcionar um elo
De pele e olhar, até gostar
Mulher você esta arrasando
Se não há admiradores
Ao lado dizendo é porque
É porque não merecem
Nem de ti saberem

Ulisses Reis®
15/03/2011

Para Cristiane ‘Zelia” Guariento

Palavras te acham

Palavras te acham

Que tal café preto e amargo
Um grito no escuro, não?
Então um beijo aflito
O coração palpitando
A boca secando, ele chegando
Que tal acordar e ver
Que do lado esta o teu querer
Uma chuva e tempestade
Chega de água acordada
Não vai mesmo no café
Menina espoleta sem sono
Sem meia descalça na janela
Não quer mais o sono solitário
Quer a aquecida e ardente insônia
No meio da fuga

Ulisses Reis®
14/03/2011

Para Fernanda Barcellos

quarta-feira, 16 de março de 2011

Centelha


Centelha

Fiquei indignado, voltei aqui para o teu lado
Não gostei da atitude, dessa alma desgarrada
Como pode deixar você por algo que aconteceu
Tem que explicar que cada jornada tem inicio
E possivelmente um meio e chega ao fim
Mas abandoná-la assim, como o cantor disse:
Alma não tem cor, e digo não pode ter dor
Alma tem sim que seguir, mas na vazia rua
O corpo que a conduz, ser conteúdo supremo
Centelha que liga o humano com outro plano
Vamos cantar um mantra, acender uma luz
Vamos eu e você unidos, gritar e aos brandos
Eu com a voz mais grave e você com encantos
Trazê-la de volta e você deixe o medo de lado
Não assuste tua alma, pois sei o amor virá
Neste ou em outro instante

Ulisses Reis®
14/03/2011

Calcinha


Calcinha

Essa linda menina-moça
No passado recente, na sexta-feira
Nos brindava com uma calcinha
Lógico que era o conteúdo, linda bunda
Do corpo muito gostoso, toda fogosa
Agora vou pedir que volte a exibir
No final de semana tua beldade
Para que muitos conheçam a pinta
Que você tem num lugar estratégico
Mineira com o sorriso faceiro
É um amor com seu jeitinho
Que seduz e faz carinho com a libido
E tem na alma a luxuria a mil
Faz isso, volte a conceder o prazer
De olhar e sonhar , mostre a calcinha
Linda e safada menininha

Ulisses Reis®
12/03/2011

Para Malu

segunda-feira, 14 de março de 2011

Camaleoa I

Camaleoa I

Como pode ter tal encanto
Pois me lembra música um canto
Cada imagem revela ao mundo
Que uma mulher pode e deve
Ser muitas, a loirinha cabelo curto
Que traz um tom de menina-moça
Doce como leite condensado
Que é deliciosamente sorvido
Fotografada pela retina do olhar
Que senti um sorriso crepuscular
Onde o sol ilumina e deixando a luz
Do dia para que a lua venha
Brilhar

Ulisses Reis®
11/03/2011

Camaleoa II


Camaleoa II

Chanel e todo preto, fabulosa
Valoriza os teus olhos pitados
Que musa deliciosa, que explode
Tem um que de melindrosa
Década de 20, mais liberdade
Quando a mulher se mostra
Decotes e saia, sem espartilhos
Boca vermelha, charleston
Tudo isso nesta linda Ira
Que numa imagem pacifica
Mostra-se um ser diferenciado
Que busca o movimento
Mesmo que seja na imagem
Onde pode recorrer à beleza
E transformar cada dia, em único
E assim surpreende a cada entrada
Deixa os homens boquiabertos
E desperta a inveja de outras belas
É assim que faz uma fera

Ulisses Reis®
11/03/2011

Para Ira Buscacio

Camaleoa III

Camaleoa III

Loiraça como uma das Panteras
Do seriado muito aclamado
É uma mulher muito bela
Vem assim gata manhosa
Cabelos longos dourados
Você me fascina e encanta
Tenho que tomar cuidado
Pois fico empolgado, caracóis!
Com um sorriso cativante
Você é uma musa radiante
Sabe enfeitiçar as palavras
Que aqui escrevo contente
Para você que surge é cume
Onde no altar eleva o divino
Da fêmea que procria e cria
A vida e embeleza o dia
Como mulher você explode
De uma forma maravilhosa
Pois ao aparecer confunde
É um furacão de boas sensações
E traduzindo tudo em emoções
Você é camaleoa de coração

Ulisses Reis®
11/03/2011

domingo, 13 de março de 2011

Camaleoa IV

Camaleoa IV

Agora os cabelos compridos
Mulher te conhecer é um privilegio!
Tem o gosto da poesia e de poetas
Você lógico que afeta, tua maneira desperta
Em mim e muitos uma sede de te escrever
Dizer que você se mostra um espetáculo
Tenho certeza que não é só na tua beleza
Pois tem algo que é da essência, l á no fundo
Da mulher que é madura e bem formada
Que traz nos traços uma coisa impar
A mistura brasileiríssima na face
Justamente ela que no perfil adora e dora
Recita o que se recicla, observa o que passa
Explora a semântica de tudo que é escrito
Ela sabe bem usar o maior dom, livre arbítrio
Senti o choque, dança o rock, Ira você é pop
Mas tem uma lado de mundo e profano, são faces
Ou serão fases que tanto habita a mulher
Ao indagar, não se cala, fala, retrucando cutuca
E talvez até numa mesa jogue truco, se sabe abusa
Pois seria um deslumbre mulher linda maravilhosa
Gritando e blefando num jogo com o zape, trucando
Uma musa é quando não quer, quando quer, não é
E você o que acha agora? Que cativou, é Musa
Pois ao ver-te não tem mistério, só um espanto
Pois tudo que mostra para o mundo é macio e belo

Ulisses Reis®
11/03/2011

sexta-feira, 11 de março de 2011

Faces e Fases

Faces e Fases

Cicatriz gritante, dor muda não se propaga
Do ventre o sangue cessa é a maternidade
Vem como balsamo e fertilizante do amor
Não há pecado em nenhum templo agora
Pode ter sido o mistério que envolve a vida
Enraizado com dor ou sem no fundo da gente
Não se acaba com qualquer sentimento fácil
Se for de dor por um amor perdido ou finito
Devemos ser sempre reflexivos, o que houve
Não se culpar ou somente achar desistir de amar
Melhor é poetizar tudo que a voltar existir
Paixão cólera e outros sentidos e ter direção
Que ao propagar diminua o cansaço
Não se ache perdida no mar, olhe o horizonte
Ele é aurora e trará sorriso e harmonia
Tudo que merece um longo bem estar

Ulisses Reis®
11/03/2011

Possuir


Possuir

Tem as coxas rosadas
É um caminho e moldura
De uma obra-prima
Desliza seios pequenos
Vivos, de muita luxuria
Assim nua inteira
De salto é a faceira
Que brilha com valor
Onde entranhas de calor
Vigoram dias e anos
Loirinha você é prazer
Na imaginação latente
De que vem a casa lhe ver
Assim a imaginação flui
Para o mais perigoso abismo
Que é ter nos braços e pernas
Você nua em pelo

Ulisses Reis®
08/03/2011

Para Casa da Loirinha Ksada

Te respiro


Te respiro

Essa franjinha veio me encantar
Você já sentia que eu ia gostar
Deixou-me feliz que você mostrou
Como teus olhos são fortes, viajei
E neles os meus eu grudei, amei
Sabia que tudo em ti me inspirava
Agora você me deixa muito feliz
Nunca me deixe sem inspiração
Enquanto estiver aqui pertinho
Eu terei você como Musa e par
Para trocar idéias e sentimentos
Vem , vem me beijar na boca

Ulisses Reis®
07/03/2011

quarta-feira, 9 de março de 2011

Posse



Posse

Não posso ser dono
Não é objeto sem coração
Não domino, ela tem livre
Pensar e arbítrio
Ela evoluiu, revolução
Sou um mero parceiro
Não passo de uma ilusão
Se quero ser dono, dês-construção
Pois como posso prender
A própria liberdade, tenha visão
Que voa lindamente em passos
Nua pela sala é um eterno furacão
Não temos donos, parceiros ou não
Temos cúmplice ou violação
Essa ninfa fadada a ser mulher
Vem como presente e flor
Num jardim sem o mínimo de pudor
Quero mais desfrutar e compartilha
O ardor

Ulisses Reis®
08/03/2011

No topo Start


No topo Start

No topo fica sempre a Start
Nem eu nem você vamos ficar
Ela sempre é o cume e a estrela
Fica lá em cima para meu olhar
Com lânguido e sensual jeito
DonnaBella vem ser a deusa
Que tem o encanto e beleza
Você que para mim é luz
Quero muito que conduza
Pelos caminhos incertos e avessos
Certas meninas tuas fãs, as que vejo
Pois tenho certeza que são varias
As meninas que te olham e vêem
Que tem muito que aprender
E com você bom ou não, vão ter
Aulas de muito saber, das coisas
Erradas ou certas na vida a fazer
Circulando e meia volta, estou aqui
Eu e a Start de volta, Liih cadê o topo?

Ulisses Reis®
08/03/2011

Para Eliana Donnabella